logo


Quantas vidas você já salvou surfando?

Aprenda em 15 minutos vendo o vídeo

Infelizmente o afogamento é muito comum em nosso país, e ocorre em sua maioria na frente de amigos e familiares que poderiam evitar ou ajudar, mas desconhecem inteiramente como poderiam reagir. O desconhecimento ou a imprudência são muitas vezes, as causas principais destes incidentes na água. Sabemos que mais de 70% das pessoas que se afogam em nossas praias vivem fora da orla, e, portanto não estão habituadas aos seus perigos e peculiaridades.

O surfista é o visitante mais assíduo de nossas praias, embora na maioria das vezes sem nenhum treinamento, ele acaba se envolvendo em salvamentos, que em sua grande maioria são bem sucedidos, podendo eventualmente ter um fim trágico para ambos.

O salvamento com prancha de surf é tão antigo quanto o próprio descobrimento do surf no Hawaii (Duke Kahanamoto) e do salvamento aquático nos EUA (Comodoro Long Fellow).

Preocupada com esta situação, a Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – SOBRASA vem difundindo, o projeto “SURF-SALVA”, uma forma rápida de educação de surfistas na arte de prevenir e salvar. Original do Rio de Janeiro nos anos 80, o projeto se dedica a ensinar aos surfistas os procedimentos básicos nestes casos. Alguns Estados como Rio de Janeiro, Bahia, Ceará, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Pernambuco, Rio Grande do Norte, e São Paulo realizam estes cursos em bases regulares, ensinando técnicas básicas de prevenção, resgate e primeiros socorros com o uso de prancha aos surfistas.

A nosso objetivo é reduzir o número de afogamentos. O Surf-Salva é uma das mais poderosas formas de ajudar. O curso tem conteúdo teórico e prático e é realizado em linguagem simples e fácil de ser transmitida. Nosso objetivo é ensinar aos surfistas, que estão todos os dias nas praias de nosso litoral junto com os guarda-vidas, sem que para isto se torne uma vítima da situação. Desta forma podemos passar este aprendizado a outros, multiplicando o conhecimento, resultando em milhares de vidas salvas em nosso país.

Quanto à questão se o surfista tem condições de encarar esta situação de emergência e seu relacionamento com os guarda-vidas as pesquisas mostram que, 51% dos surfistas já presenciaram alguém morrendo na praia, 74% já participou de algum salvamento, 32% referem medo por não ter conhecimento de primeiros socorros, 46% já tiveram a oportunidade de ajudar um guarda-vidas, e 84% gostariam de participar de algum curso de primeiros socorros para afogamento. Já do lado dos guarda-vidas, 41% já foram auxiliados alguma vez por um surfista, e 84% acreditam que o surfista possa realizar um salvamento.

“A união destes dois amantes do mar forma uma parceria incrível nas praias, e é isto que queremos”.

Entusiasta deste projeto, criado pelo Surfista Rico e pelo guarda-vidas Neil em 1982 no Rio de Janeiro, o Dr Szpilman é surfista há mais de 50 anos e frequenta as praias da Barra e Recreio diariamente, e afirma: “depois que você faz o curso nunca mais vai a praia do mesmo jeito, você passa a ficar observando as correntes de retorno a procura por alguém que possa estar precisando de seu auxílio”.

A equipe Surf-Salva Brasil já esteve em vários locais pelo Brasil e no Exterior realizando este curso. O projeto conta com o importante apoio da Federação Internacional de Salvamento Aquático – ILS.

Os serviços de salvamento têm hoje em dia a consciência de que não existe reserva de mercado quando se pensa em segurança no mar e que promover a segurança é obrigação do Estado e dever de todos os cidadãos. O propósito do curso não é formar profissionais em salvamento e sim contribuir com a redução de afogamentos, onde toda a sociedade tem papel e responsabilidade de ajudar.

Ao final todos ficam super entusiasmados com a idéia de um dia salvar alguém e ter conhecimento para enfrentar uma das situações mais difíceis – ter a vida de outro ser humano nas mãos e saber como ajudar.

RESUMIDAMENTE O QUE ROLA NO CURSO
Introdução ao salvamento – Estatística de óbitos e ocorrências por afogamento no Brasil e no mundo,
O trabalho conjunto da equipe “Guarda-vidas & surfista”,
Conhecimento da geografia da praia,
Sinalização manual de socorro dentro da água,
Medidas de prevenção em afogamento com o surfista e com outros,
Como reconhecer um afogamento e a quem e como chamar por socorro,
Como ajudar sem entrar na água,

Como socorrer com o uso da prancha dentro da água em vítimas conscientes e inconscientes,
Como e quando realizar o boca-a-boca dentro da água,
Como transportar da água para areia,
Como realizar o suporte básico de vida na areia e a prática em manequins, e
Como e quando chamar por ajuda do guarda-vidas,

Aqui vão algumas dicas básicas do curso aos surfistas:
1. Ao se aproximar do afogado use sempre a prancha entre você e a vítima. Lembre-se que o desespero dele por uma “tábua da salvação” pode levá-lo junto ao afogamento. Não arrisque sua vida!
2. Tenha sempre calma, e peça calma ao afogado.
3. Ao colocá-lo em cima da prancha, não se arrisque tentando pegar uma onda. Às vezes é melhor acalmar a situação indo para o “fora da arrebentação” e esperando o guarda-vidas chegar em seu auxílio.
4. Sempre que possível peça ajuda do profissional guarda-vidas.

CURSO SURF-SALVA

Mais informações:<sobrasa@sobrasa.org>

FOTOS

 


Matérias Surf-Salva


Alguns vídeos

SURF-SALVA no Zona de Impacto - Esporte TV - Set 2012

Surf-Salva no Woohoo - Junho 2016

Surf-Salva com a CADES

Surf-Salva - técnica de uso do pranchão em vitima consciente - David Szpilman

Surf-Salva - técnica de uso do pranchão em vitima inconsciente - David Szpilman

SAUDAÇÃO DO SURF-SALVA DIRETO DA PRAIA DE PIPA - RN RISCO E DICAS DE PREVENÇÃO NO SURF