logo



Aprovado pela Diretoria da Sociedade Brasileira de Salvamento Aquático – 2012-16
Autores principais: David Szpilman(RJ), Carlos Eduardo Smicelato(SP), Joel Prates Pedroso(RS), Onir Mocellin(SC), Jefferson Vilela(SP), Paulo André da Silva Barroso(MT), Jorge Evaldo Cerqueira(BA), Márcio Morato(DF), Marcelo Barros de Vasconcellos(RJ), Edemilson de Barros(PR), Fabio Braga (RJ), João José da Silva Júnior(PA).

Esta recomendação é o consenso entre especialistas na área de salvamento aquático, diretores da Sobrasa e será atualizado a cada novo aparecimento de informações relevantes ao assunto. Mantenha-se atualizado acessando .

A quem se destina: organizadores, juízes, árbitros, treinadores e atletas de eventos em águas abertas e a todos envolvidos na segurança aquática.

RESUMO DA RECOMENDAÇÃO
O risco de morte por afogamento, para aqueles dentro ou perto de um espelho d´água quando comparado ao acidente de transito para aqueles usando um veículo automotor é 200 vezes maior para o afogamento, demonstrando o alto risco de óbito pela exposição ao meio aquático. Todos os esportes estão sujeitos a incidente durante a sua prática, no entanto os esportes aquáticos possuem o maior risco de vida. O meio aquático pode se tornar instantaneamente em um ambiente hostil a nossa realidade caso tenhamos a perda de nossa consciência. Esta inconsciência determinará o afogamento em 1 minuto e a morte deste esportista em 5 minutos, caso o processo não seja interrompido. Sabemos que a grande maioria dos casos de afogamentos pode ser evitada com medidas de prevenção e redução de riscos, e a mais importante delas é a supervisão bem realizada nos ambientes aquáticos. Embora menos freqüente como causa de óbito em afogamentos, os esportes aquáticos tem grande repercussão em mídia por usualmente ocorrerem com pessoas que sabiam nadar, por vezes atletas de alto desempenho, demonstrando uma vulnerabilidade inesperada e supostamente impossível de ocorrer. Diversos são os fatores de riscos a segurança dos atletas nestas provas. Alguns deles podem ser minimizados, outros podem ser remanejados ou ainda evitados. Cabe ao organizador e ao próprio atleta ou competidor atentar para estes riscos de forma a reduzi-los. Esta recomendação de segurança de eventos em águas abertas tem como objetivo ajudar o organizador de eventos esportivos no planejamento, identificação e redução de riscos de afogamentos e incidentes dentro ou ao redor da água e ainda sugerir formas de aumento na segurança de atletas e competidores que participam de eventos em águas abertas.

BAIXE E LEIA O DOCUMENTO COMPLETO
1354719834_ACP_PDF 2_file_document

Dr David Szpilman - Sócio Fundador, Ex-Presidente e atual Diretor Médico da SOBRASA; Ten Cel Médico RR do CBMERJ; Médico do Município do Rio de Janeiro; Membro do Conselho Médico e Prevenção da International Lifesaving Federation - ILS; Membro da Câmara Técnica de Medicina Desportiva do CREMERJ. www.szpilman.com
  1. marcelo Responder
    Bom dia Dr. Szpilman, não da para abrir o PDF. Att. Marcelo
  2. Alejandro Fontana Responder
    Desde Argentina deixo uma página onde nos temos un protocolo no nosso lago, un abraco Alejandro http://guardavidasdellago.blogspot.com.ar/
  3. Alejandro Fontana Responder
    Estimado Dr. nao posso abrir o adjunto, e possivel que ainda tenha o erro. Muito obrigado Alejandro
  4. Diego Pizzini Responder
    Excelente trabajo David, como siempre

Deixe um comentario

*

cinco − um =

captcha *