Garoto morre afogado na piscina de barraca em Fortaleza

 
 

Novembro 2006

 
 

Fotos: Francisco Viana

 

BARRACA ESTAVA fechada ontem à noite e o proprietário não havia sido informado do fato porque havia viajado para Recife

 

PRAIA DO FUTURO
Garoto morre afogado na piscina de barraca

Um garoto de apenas oito anos de idade teve morte trágica, ontem à tarde, na Praia do Futuro (Zona Leste da Capital). Ele se divertia com um casal que pretendia adotá-lo. Mas acabou se distanciado e entrou na área de piscinas da barraca ‘América do Sol’. Minutos depois, foi encontrado morto, por outra criança, na piscina maior.

Peritos acreditam que o garoto pode ter se afogado ao cair, involuntariamente, na água. Na queda, teria batido o rosto no fundo da piscina, o que causou várias lesões em sua boca.

INVESTIGA - O caso aconteceu por volta de 14h30min. Policiais do 15º DP (Cidade 2000) e da 1ª Companhia do 5º BPM (Aldeota) foram ao local e fizeram os primeiros levantamentos. O menino foi identificado como Víctor Moreira César, que residia na Rua Barca Velha, no Antônio Bezerra (Zona Oeste), com o casal que pretendia adotá-lo.

O afogamento aconteceu no momento em que havia pouco movimento de clientes na barraca. A área de piscina estava fechada, pois só entra em

 

 

 

PARQUE AQUÁTICO, onde Víctor Moreira morreu, funciona apenas nos fins de semana

 

funcionamento nos fins de semana. Apesar do local ser protegido por uma cerca formada por telas metálicas, o garoto conseguiu entrar ali. “Não sabemos ainda se ele pulou a cerca ou entrou por baixo”, contou um dos policiais que esteve no local. A Polícia descobriu, ainda, que quando populares localizaram o garoto, tentaram reanimá-lo. Funcionários da barraca pediram ajuda a salva-vidas do Corpo de Bombeiros que estavam de serviço em uma guarita na praia. Também foi acionada uma ambulância, mas quando os paramédicos chegaram, constataram que o menino já estava morto.

FECHADA - A direção da barraca não quis se pronunciar oficialmente sobre o fato. Uma funcionária que atua na gerência disse que o proprietário estava viajando para Recife e que foi tentado um contato com ele, através de celular, mas não foi possível encontrá-lo para comunicar o incidente. Informou ainda que, durante os fins de semana, há monitores que fiscalizam o uso das piscinas pelas crianças, mas, ontem, como o pequeno parque aquático estava fechado para o público, não havia nenhum funcionário na vigilância das piscinas.

O corpo de Víctor chegou ao Instituto Médico Legal (IML) às 16h30min, acompanhado de uma guia cadavérica expedida pelo 15º DP (Cidade 2000). No começo da noite, PMs voltaram à barraca em busca de mais informações, mas pouco conseguiram, pois o estabelecimento estava fechado.

Por volta das 17h30min, o casal que pretendia adotar o menino compareceu ao IML.
Desesperados, os futuros pais adotivos de Víctor não quiseram dar declarações à Imprensa. Lá, o casal encontrou-se com um representante da barraca. A falta de documentos do garoto impossibilitou ao IML liberar o corpo para sepultamento, o que deverá ser feito somente com a autorização do Juizado da Infância e da Adolescência.

APURAR - Um inquérito policial deverá ser instaurado, amanhã, pelo delegado titular do 15º DP, Jaelan Alves, para apurar as responsabilidades pela morte da criança.